Sobre

Sobre o Evento


 

               Ao longo dos anos a sociedade tem demandado das empresas ações cada vez mais específicas e voltadas para questão social. Com o intuito de atender aos anseios de cidadãos cada vez mais exigentes, foi criada no século XX uma série de Ferramentas que possibilitam as empresas apresentarem-se de modo cada vez mais transparente, quantificando suas ações, outrora despercebidas, apresentando-as sob a forma do que se convencionou chamar “Balanço Social”. Estes balanços que retratam as questões de sustentabilidade social e o relacionamento entre as instituições, os shareholders e stakeholders, no setor privado, já tem uma metodologia consagrada e bastante difundida, destacando-se no Brasil o modelo Ibase.

            No setor público, contudo, apontar o retorno social, não pode ser encarado da mesma forma. Assumindo que a sociedade é o patrão e beneficiário direto das ações oriundas de empresas públicas, qual é o retorno ao cidadão, economicamente falando, das ações ou dos processos gerenciados/fiscalizados por entidades públicas? Como mensurar o ganho ou a economia gerada pela ação direta ou indireta do Estado?

            Para responder esta pergunta, o ASMETRO-SN elaborou uma ferramenta, o “Lucro Social”, voltado exclusivamente para o setor público.

            Lucro Social é um conceito adaptado do modelo Embrapa e consiste na criação de indicadores sociais devidamente validados e alimentados por bases de dados críveis, elaborados por profissionais com profundo conhecimento de suas respectivas áreas / instituições,

            O Lucro Social, segundo o ASMETRO-SN é definido como:

 “quantificação do retorno e/ou economia, em prol da sociedade, dos investimentos feitos em função da ação de um órgão governamental, quer seja diretamente, através das ações de fiscalização, regulação e controle, ou indiretamente, através de desdobramentos de duas ações”.

(Ozanan, et al)

            Entre outras vantagens, o lucro social pode ser usado como ferramenta de transparência das ações sociais para aproximação com os diversos setores da sociedade e, por parte dos sindicatos e associações, em mesas de negociação.

            O objetivo desta oficina é transferir a Polícia Rodoviária Federal, através de sua Federação, o método para elaboração de indicadores de lucro social críveis de modo a  apresentar à sociedade a importância das ações desempenhadas por esta instituição, apresentando números concretos de seu desempenho, ou seja: explorar o Balanço Social da PRF como uma ferramenta de TRANSPARÊNCIA DAS AÇÕES SOCIAIS.

               Outro ponto importante é trazer à tona os números, abrangência e impacto das ações da PRF junto à sociedade a serem utilizadas como moeda de troca de alto valor agregado em mesas de negociação com o governo federal, ou seja: utilizar o Lucro Social como uma ferramenta de NEGOCIAÇÃO.

               Finalmente, mas não menos importante, possibilitar ao gestor, através do entendimento correto do processo e do impacto de suas ações nos processos, a análise mais correta dos recursos da instituição, maximizando seu potencial no cumprimento de sua missão institucional, ou seja: utilizar o Lucro Social como uma ferramenta de GESTÃO. 

               A oficina abordará os seguintes temas:

  1. Apresentação da visão da população sobre o funcionalismo público.
  2. Sustentabilidade e os Desafios da Transparência
  3. Conceito de Lucro Social, a importância do domínio da mesma e seu potencial impacto em negociações sindicais.
  4. Ferramentas necessárias para identificação dos processos relevantes da PRF e elaboração de indicadores de lucro social.
  5. Criação dos indicadores de lucro social da PRF para os processos identificados na oficina.

 

               O evento terá a participação de especialistas em cada um dos temas abordados, estudos de caso, mesa redonda, elaboração e apresentação do esboço de cada indicador de Lucro Social da PRF.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *